21 de dezembro de 2011

E quando eu digo que o Natal já não é o que era antes,

não estou a falar de valores, estou a falar de piões e de beyblades.


ahahahah

16 de dezembro de 2011

Sou tão mariquinhas...

...que já passei um voo de longo curso a tomar um medicamento para o enjoo aos pedacinhos, com medo de sentir os efeitos secundários.

15 de dezembro de 2011

Sobre bandidagem

A propósito do Juiz que foi apanhado a roubar a correspondência do vizinho. Aqui.
Eu sei que isto pode ser difícil de compreender, mas posso vos dizer que nos meses que estive na cadeia conheci bandidos muito bem formados, com valores e com um caráter de fazer inveja a muitas outras pessoas que já conheci por aí.

12 de dezembro de 2011

socorro

Deixei de fumar e já deixei de beber café e tal e tal...
...mais não digo. Estou em desespero. Dou por mim a fazer respirações profundas sempre que alguém me cheira a tabaco e isto pode tornar-se um pouco aborrecido. Digam-me que isto passa, vá lá, please.

6 de dezembro de 2011

E o que é que tu fizeste?


Nada. Agora já me chicoteei 10 vezes e já contei a toda a gente que me rodeia, tendo recebido imensos conselhos, como por exemplo: “nunca devias ter deixado que te tocassem”, “Imagina o que fazem quando ninguém vê”, “devias era de ter reclamado na hora”, “a mim só me tocava depois de lavar as mãozinhas”, etc..
Tenho como desejo de final de ano tornar-me uma pessoa com uma comunicação mais assertiva e, por amor-próprio e à minha saúde, não voltar a ficar impávida e estupidificada quando me colocar em situações destas.
Resta-me reclamar e purgar assim todos os vírus e bactérias que possam ter entrado, durante estes 15 longos minutos, dentro de mim.

 
"No âmbito da realização de análises clínicas, no laboratório acima referido, os procedimentos adotados, segundo a minha compreensão, não foram realizados de acordo com as normas de higiene e segurança. Quando entrei na sala de recolha de sangue havia uma gota de sangue no chão, que presumo tenha sido do anterior utente, a técnica de análises clínicas, sem luvas, limpou com um algodão o sangue que estava no chão e continuou os procedimentos de preparação dos materiais para me efetuar a recolha de sangue. Antes de me retirar o sangue, e ainda durante a preparação dos materiais, recebeu das mãos do anterior utente o copo de recolha de urina que o senhor tinha ido realizar na casa de banho do respetivo estabelecimento de saúde e que voltou ao gabinete para entregar. Durante todo o tempo que estive sentada no gabinete de recolha e durante todas tarefas realizadas a técnica de análises clínicas não colocou luvas, não lavou nem desinfetou as mãos.
O meu objetivo com esta reclamação é promover as boas práticas de promoção da saúde e prevenção das doenças e alertar para que todos os procedimentos de segurança para com os utentes sejam sempre cumpridos, principalmente em serviços de saúde, onde os utentes já se encontram numa situação de saúde fragilizada e também, neste caso, seja salvaguardada a importância das análises com resultados fidedignos para o diagnóstico de uma possível patologia."

18 de novembro de 2011

Sexo

Não me apetece escrever sobre nada. O meu único objetivo com este post é aumentar o número de visitas diárias ao blog. Se não resultar, publico outro poema.

31 de outubro de 2011

Poetiza-me

Poetiza-me
para escreveres
sobre mim

Poetiza-me
para me leres
quando quiseres

Poetiza-me
para poderes
me des folhar

Poetiza-me
para me teres
só para ti

Porque eu não quero que vos falte nada

"Saiba qual é o seu número na população mundial

Com a população mundial a atingir os sete mil milhões de pessoas, descubra qual é o seu número neste total e quantas pessoas nasceram antes de si."
http://www.bbc.co.uk/news/world-15391515 vá, vão lá ver!



Eu, nem sei ler este número...
When you were born, you were the:4,090,100,233rdperson alive on Earth78,461,156,920thperson to have lived since history began

7 de outubro de 2011

Ácaros

Será possível que alguém do exterior entre no meu router e consiga ligar-se à minha internet? 
Foi o eu pensei quando estava a ver o discurso do Presidente da República na TV, sem som, e percebi que havia um ip a mais ligado através da minha rede. Será possível que também consigam ler os meus emails? Hum…?

6 de outubro de 2011

Lembram-se desta mensagem? Afinal, não é bem assim...porque há quem consiga chegar lá.
“O teu tempo é limitado, por isso não o gastes a viver a vida de outra pessoa. Não caias na armadilha do dogma, que é viver de acordo com os resultados do pensamento de outras pessoas. Não deixes que o barulho criado pela opinião dos outros silencie a tua voz interior. E, acima de tudo, tem a coragem de seguir o teu coração, a tua intuição. Por uma razão qualquer, eles já sabem o que tu queres ser. Tudo o resto é secundário.” Steve Jobs

16 de setembro de 2011

Passos de Coelho

Isto não é uma piada política. Demorei uns bons meses para perceber que o senhor não se chama Passos de Coelho, mas sim e apenas Passos Coelho, e foi porque me chamaram a atenção. Até tem a sua piada, nos tempos que correm.

13 de setembro de 2011

Mulheres: nunca tenham uma relação com um fã dos Smiths

O que se aprende sobre alguém pela sua colecção de discos? Tudo. Quase tudo...
ver aqui porquê.






7 de setembro de 2011

A Psicologia está para a Educação e Formação, assim como o Belenenses está para o Futebol. Todos sentem um carinho especial, mas ninguém acredita que algum dia atingirá uma posição de destaque.

31 de agosto de 2011

360º

Não há melhor maneira de descrever o meu último dia de férias. Acordei cedo, estive em vários serviços públicos, tomei várias decisões sobre o futuro, e agora posso dizer que a minha vida deu uma volta de 360º. É sempre assim que me sinto quando contacto com serviços úteis. Que bom é voltar ao início, depois de dar umas voltinhas. Fiquei com vontade de andar de carrinhos de choque, logo agora que a feira aqui da terra já acabou. E a Feira Popular? Onde é que se pode andar de carrinhos de choque neste país? Depois queixam-se que as pessoas conduzem de forma agressiva.

29 de agosto de 2011

Para mim, não existe actividade mais estupidificante do que a realização de qualquer uma tarefa doméstica que não inclua água. Por exemplo, depois da técnica da paragem de pensamento, passar roupa a ferro está mesmo no top 10 das actividades mais estupidificantes que existem, juntamente com a meditação com vocalizações.

23 de agosto de 2011

O meu amigo virtual Edson Marques diz que “Toda emoção é produto do raciocínio.”. Pensei, pensei, e acho que não concordo. Se assim fosse, como explicar o facto de eu pensar uma coisa, sentir outra e, no fim, no agir, fazer exactamente o contrário do que queria. A coisa até corre bem quando ajo ao contrário do que o que penso, o pior mesmo é quando ajo ao contrário do que sinto. Não, a emoção não é produto do raciocínio. Mas o raciocínio, esse sim, é toldado pela emoção. E por favor não me contrariem nesta última frase, que eu não conseguiria lidar com a frustração de alguns dos meus actos.

Ou nunca mais..."  , e isso eu concordo. 

22 de agosto de 2011

ando um bocado mística




Culpa

- Preciso muito de falar contigo. Porque não apareces no skype?
- Chego cansada e não me apetece ligar o computador.
- Mas precisava de falar contigo. Preciso de uma opinião.
- Liga-me.
- Assim não gastamos dinheiro.
- No telemóvel também não.
- Mas não dá para transpor emoções por telemóvel.
- Nem por skype. Diz lá, o que se passa?
- Mas ao ver a tua cara dá para perceber melhor...
- Dá para perceber melhor o quê?
- O teu ar de reprovação.
- Ah? Mas se já sabes que vou reprovar porque queres falar comigo?
- Para dividir a culpa. Tu sabias e não me impediste…
Como a parte do estar apaixonada é verdade, pela vida acima de tudo, nunca vos maçaria com posts lamechas.  Deixo-vos aqui uma musiquinha para alegrar o dia. Love, Love, Love.

21 de agosto de 2011

Estou apaixonada

Estou oficialmente apaixonada. Descobri da pior maneira, daquela maneira que estou apaixonada mas ele não. Por isso, o que se avizinhava como posts cheios de coraçõezinhos e sobre o que a vida tem de bom, vão ser substituídos por posts lamechas sobre o fado, o destino, o karma. Sim, porque só pode ser karma, eu não tenho culpa nenhuma. Os meus amigos dizem que eu estou a exagerar. Mas, na verdade, quando alterei no facebook o estado civil para numa relação, os meus amigos fizeram like!. Só aqueles mais próximos, embirrantes e invejosos, é que me disseram que talvez fosse melhor não dizer o que sinto a toda a gente, e que o facto de ele me dar atenção não queria dizer que gostava de mim, que não havia nenhuma relação, enfim. Entre todos os meus amigos, só ele é que me perguntou com quem é que eu estava numa relação. Na altura não percebi, achei que era um sinal. Quando estamos apaixonados a nossa percepção fica um pouco distorcida. Bem, decidi alterar o meu estado civil de novo, e os meus amigos colocaram um smile triste. É bom ter amigos assim, e poder partilhar os meus sentimentos sem medo.

Estou com saudades do trabalho. É mentira, mas não faz mal. Foi o mote para escrever este post todo no lugar do título, só para relembrar os e-mails que recebo no trabalho com os assuntos todos escritos e desenvolvidos no lugar onde diz Assunto.

20 de agosto de 2011

there is no spoon

Às vezes quando parece que o dia não podia acabar pior, nós conseguimos torná-lo pior. No meu caso não preciso de muito, não preciso de discutir com ninguém, sair à rua à espera que uma situação menos boa aconteça, não, simplesmente fico em casa e deixo o meu pensamento fazer o resto. E não é que consigo. Às páginas tantas, tentei fazer o mesmo com o objectivo contrário. Para o dia me correr mesmo bem, deixei de interagir, não saí à rua, fiquei em casa e deixei o meu pensamento fazer o resto. E não é que consegui.

Vamos fugir

Isto hoje não está a correr nada bem, deve ser do tempo. Não sei se vale repetir textos, mas como ando armada em calona aqui vai um com uma pequena adaptação de um texto antigo. Até porque é tempo de férias, o dia está xoxo, o tema deste mês da fábrica de letras é fugir, e para mim fugir rima com escrever.
Ando a passear na vida. Nos últimos cinco anos vivi em quatro sítios diferentes. Está bem que em dois dos sítios foi apenas um mês. Mas não interessa o tempo que se passa em cada sítio, pois eu ouvi dizer que integramos em nós um pouco dos sítios por onde vamos passando, e esta ideia assusta-me. Nos últimos anos, mudei de casa quatro vezes. É verdade, quatro vezes! Embora seja uma das coisas que me causa mais stress (concluí isso hoje, ou há dois anos atrás), posso afirmar que tem algumas vantagens. Ver a nossa vida em malas de viagem, caixas de papelão e sacos de plástico, não é deveras agradável, mais que não seja pelo lado simbólico da coisa e também devido ao pó que carregamos connosco (para além de outras coisas vivas que podem aparecer pelo meio). Mas, deixo de fora as coisas fúteis que nos habituamos a coleccionar e as novas tecnologias ajudam a ter sempre próximos aqueles que são importantes e que carregamos simbolicamente em números de telefone e endereços de e-mail! Não fosse a máquina de lavar roupa, que tanto pesa e falta faz, poderia dizer que comigo só precisaria de levar o telemóvel e o computador portátil. Fora os exageros, e embora não saiba explicar, tenho outras coisas que me acompanham e não deixam de ser muito importantes e que causam alguns transtornos na hora da mudança, como por exemplo, os livros que nunca li, os que li, e todos os suportes de velas que me vão oferecendo ao longo destes anos e que não ficam bem em lado nenhum, entre outras coisas. Mas, esse lado simbólico que já referi, nem sempre é mau. Mudar, pode causar um sentimento agradável. Começar de novo, permite-nos só levar connosco aquilo que realmente interessa. Essa é a grande vantagem das minhas últimas mudanças, só levo comigo de volta o que realmente interessa e faz falta. E, devo dizer, que cada vez carrego menos "coisas materiais" comigo. Este assunto poderia tornar-se bastante poético, mas não é o que pretendo. Até porque não faço intenções de mudar de casa tão cedo. Digo assim, para não dizer nunca mais, pois não se deve dizer nunca. Desde os catorze anos que ameaço fugir de casa, fugir é um verbo que me acompanha já há bastante tempo. Por exemplo, a minha família e os meus amigos já nem ligam a este assunto. Sim, sim, foge, foge, dizem eles quando tento iniciar o assunto. Também fujo de outras situações, como por exemplo, chamar as coisas pelo nome. Este texto é para a fábrica de letras, sobre o tema fugir, e eu escrevi sobre mudanças. O que é que as minhas mudanças de casa têm a ver com fugir? Podem não ter nada a ver, ainda assim foi o que me apeteceu escrever.

18 de julho de 2011

1 de julho de 2011

É fim de semana

Sabem aqueles dias em que apetece tanto escrever que até dá um certo medo? Euforia. Pois é, amanhã vou ter ler outra vez o que escrevi, então é melhor ficar por aqui.
Estou oficialmente de fim de semana, se é que vos interessa saber.

24 de junho de 2011

cagarro

Ando um bocadinho aborrecida, entediada mesmo. E quando penso que cheguei ao fim do Google, eis que me deparo com o cagarro. Já tinha ouvido falar que havia pessoal a acasalar em directo na net sem saber, e agora também o coitado do cagarro. Deve ser mais coitada da cagarra, ela é que deve estar a ser vigiada sem saber, porque macho que é macho até gosta de participar nessas coisas.

Sabiam que o fim de semana perdeu os hífenes?
Tenham calma, a estrela-do-mar manteve.

22 de junho de 2011

Karma

Quando eu estou quase a acreditar que existe o Karma, mesmo mesmo quase, surge a questão íntima, que vem mesmo mesmo do interior, que se prende com o que estou a fazer aqui, neste local, com esta companhia, agora, neste preciso momento? E é nesse preciso momento que passo a acreditar em vidas passadas.

Se eu tivesse dias como tenho horas

Como a minha mãezinha diz, ai se eu tivesse dias como tenho horas. No caso dela, parece que a vida seria bem pior. No meu caso, o mesmo vale para algumas horas mas com a certeza que se isto acontecesse já não estava por cá para contar a história. De resto, prefiro pensar nas outras, nas boas. Ai! Ai! Se eu pudesse prolongar as minhas horas em dias, só aquelas, aquelas que eu quisesse.


isto agora dá para adicionar um local? Hum?

21 de junho de 2011

6 de junho de 2011

ó tempo volta pra trás

Santo António
Santo Antoninho
faz com que esta segunda-feira
se transforme no domingo

2 de junho de 2011

Diz-me que TV vês e dir-te-ei com quem andas.

A diferença entre uma pessoa feliz e uma pessoa infeliz vê-se sobretudo na forma como interage com o outro. Há quem realce todas as qualidades que vê no outro, há quem realce todos os defeitos que vê no outro. E vocês sabem como nós nos influenciamos todos uns aos outros através das relações que fomentamos, as expectativas e esperanças mútuas que cultivamos. Assim sendo, temos que escolher. Diz-me com quem andas e dir-te-ei quem és.

9 de maio de 2011

5 de maio de 2011

Dear Troika

Dos 78 mil milhões de euros, eu gostava que me dessem:

A camisola de alças, azul, da Bershka.
Aquelas sandálias das fitas da H&M, pode ser em preto.
O Passe completo do Super Bock e do Optimus Alive. Com o Músicas do Mundo eu cá me arranjo.
Uma tenda daquelas que se monta sozinha. Eu tenho uma das antigas, grande, mas andei a escrever umas coisas a caneta, datas e cenas assim, e agora não consigo apagar.
Um bilhete de ida para o Brasil, eu depois oriento-me para o regresso.
A renovação do meu contrato de trabalho. Eu sei que vocês não andam a dar-se muito bem com o ministro das finanças, mas vejam lá isso. E olhem, eu não escrevo post´s no horário de trabalho, são todos agendados.
Se não for pedir muito, gostava de ter consultas vitalícias de Psicoterapia e também abastecimento vitalício de gasolina. A gasolina pode ser de postos da Galp.

Look forward to hearing from you
Tulipa

P.S. Se tiver que escolher entre o Super Bock e o Alive, prefiro o Superbock.

2 de maio de 2011

Desabafo

Não sei se aguento tantos dias seguidos a trabalhar. Já repararam que este mês não tem feriados em dias úteis, nem pontes, nem nada.

28 de abril de 2011

1 de abril de 2011

Entre " "

Dizem os meus amigos, e os que me estão mais próximos, que eu tenho um grande sentido de humor. Até pode ser grande, mas é demasiado sarcástico e irónico, não me orgulho muito. Custa-me, por vezes, a incompreensão e a estranheza dos outros. Tento mudar, tento, mas não é fácil. No outro dia fui à festa de aniversário de um amigo que já não via há uns anos. Não conhecia ninguém, mudam-se os tempos mudam-se os amigos, o que é muito bom. Foram todos muito simpáticos comigo. Uma amiga dele disse que eu tinha muito sentido de humor, um amigo dele disse que eu era muito engraçada. Depois de tantos elogios, acabei a noite a contar-lhes aquela história em que eu ia a conduzir e um carro abrandou ao meu lado, baixou o vidro e gritou: Palhaça!!.

10 de março de 2011

Sublimação

Fui ver o discurso do rei, e o filme até se vê bem. É sobre um rei gago. Mas o mais importante do filme para mim foi aquela mensagem que passa em que o terapeuta que não era diplomado mas que era terapeuta, ao contrário dos terapeutas que têm diploma e são chamados os doutores, consegue estabelecer uma relação de intimidade com uma pessoa que não sabia bem como isso se fazia. E depois no fim, com algumas técnicas, o rei consegue fazer um discurso sem gaguejar. Eu gosto de contar os finais dos filmes. Sim, e acho que se devia apostar mais em filmes baseados em histórias verídicas.

3 de março de 2011

Pensamento positivo

Que mania de frustrar os jovens. Por esta e por outras razões eu acho que devia de haver uma selecção, não natural, dos educadores de hoje em dia.

O meu irmão, ontem ao almoço, veio-me com a conversa que uma das suas professoras da faculdade disse “desculpem-me meus amores, mas aquela história do pensamento positivo é tudo mentira”. Segundo ela, que provavelmente estava a falar de causalidade mas explicou-se mal, não interessa pensar positivo porque as coisas boas não vão acontecer só porque eles querem. O pensamento não tem força para mudar o sentido dos acontecimentos.
O quê? Hã? Só disse isso?? Nem deu as referências bibliográficas de autores? Nem vos disse o nome de nenhum site na internet para pesquisarem? Não falaram mais do assunto? Foi assim a seco? E toda a gente acreditou? Eu, numa tentativa de mudar o rumo dos acontecimentos, e porque só tenho uma hora de almoço, expliquei-lhe que a professora não tem razão.
“Mano, meu amor, grande estúpida que ela é. Anormal! Se pensares positivo, se desejares muito mas muito mesmo uma coisa, todas as tuas acções serão canalizadas nesse sentido, todas as pessoas que te rodeiam irão perceber os teus desejos, e então as probabilidades deles se realizarem serão muito maiores. E depois existem aquelas coisas todas que não sabemos explicar e que dão sabor à vida, e que fazem as coisas acontecer. Acredita, acredita sempre que sim. Não ligues pá, a gaja é parva e anda a descarregar as frustrações em cima de vocês. Foge de pessoas assim.“


E depois, quando ia a conduzir de volta ao trabalho, lembrei-me também da música dos Deolinda, daquela dos parvos.  Pensei que talvez se a música fosse feita no sentido positivo talvez tivesse um efeito mais transformador, e se tornasse um bocadinho menos chata. Mas isto sou eu, que gosto de coisas que causam outro tipo de contestação.

23 de fevereiro de 2011

transformações químicas

É conhecida a relação que as mulheres têm com as máquinas. Eu, que não gosto de estereotipar, posso afirmar que a minha relação com tudo o que seja mecânico é puramente funcional. No entanto, nem sempre funciona. Embora nunca me tenha dado para abrir e desmontar as peças (muitas vezes), acho sempre que as máquinas podem ter utilidades para além do que é óbvio. Mas a física e a química são ciências para além do óbvio e a máquina de batidos não dá mesmo para bater claras em castelo, garanto-vos.


“Já deves ter observado cozinheiros a bater claras em castelo. O que acontece neste caso, é uma transformação química por acção mecânica. Este tipo de transformação pode ocorrer por fricção, sendo um exemplo o acender de um fósforo, ou por choque, como no caso da nitroglicerina, substância líquida muito instável que quando se atira uma gota ao chão, esta explode.”

14 de fevereiro de 2011

Não podia deixar passar este dia em branco

até porque tenho muito pouco para dizer ultimamente. Mas, neste dia, quero partilhar uma crença minha. Acredito que no amor existe uma lei equivalente àquela que diz “olho por olho, dente por dente”. É das leis mais antigas que existem, é a lei da retaliação. Eu subscrevo, em relação ao amor.
Amor com Amor se paga. Assim, se quiserem algo mais moderno.

Ponham-se a jeito e espalhem o vosso Amor como um vírus, é o que se me apraz dizer neste dia dedicado ao amor romântico. E boas colheitas. Isso, e algo assim mais cor-de-rosa.
Para os mal amados, desesperançados, para os agarrados à coca, ou simplesmente para quem não sabe o que estou a falar, aqui fica a notícia do dia: Paixão. O Cupido atinge numa fracção de segundo e um beijo sabe a cocaína.


10 de fevereiro de 2011

Agora que todos falam do filme Cisne Negro, que ainda não vi, lembrei-me de rever este. Este sim, além de ter a  Natalie Portman, vale a pena ver. Ou, no melhor dos casos, rever.
         Léon, the professional - Luc Besson, 1994

4 de fevereiro de 2011

Exaltação, só porque já é sexta-feira

- Gostas de ler?
- Sim, gosto muito.
- Ok. E o que costumas ler?
- Hum... Gosto muito de Florbela Espanca…
- Por alguma razão em particular?
- Não sei…transmite-me paz.
- … eu venho já … só um momento…
(ahahhahahaahhaah)

30 de janeiro de 2011

Manual de auto-ajuda

Premonições. Se o teu fim-de-semana foi bom, nada durante a semana será capaz de te perturbar.

20 de janeiro de 2011

Fui assolada por uma dúvida existencial

Eu já tinha decidido votar em branco no próximo dia 23 de Janeiro, mas deparei-me com esta informação. Bem, eu até já sabia. E agora? Sobra o José Manuel Coelho, mas não sei se consigo.

(roubada daqui e daqui)

7 de janeiro de 2011

Já está disponível desde Abril, mas eu só descobri hoje. Viva o facebook! Vale a pena saber e partilhar.

4 de janeiro de 2011

Por falar em Carnaval

Eu já tinha demonstrado a minha preocupação com os nossos vizinhos. E eles não param de me surpreender. A verdade é que tenho um bocadinho de inveja, pelo menos têm animação à séria, aqui não se passa nada. A nossa polícia só se preocupa com bens materiais, coletes à prova de bala, carros blindados, pistolas, enfim. Pelo menos em Espanha pensam no bem-estar da polícia.
Segundo a revista Visão, polícias espanholas posaram como criminosas para um calendário. A ideia era brindar os colegas, amigos e familiares, com um presente original. Mas parece que os polícias não gostaram da ideia. Eu acho que são uns grandes aldrabões.

Carnaval

Quando eu já tinha começado a pensar em escrever um post a ironizar sobre qual a próxima temática que irá bombar na blogosfera, pós época natalícia, recebo um sms a informar-me que vão iniciar aulas de Dança de Carnaval no Ateneu Comercial de Lisboa. Há pessoal muito à frente, assim não dá para inovar. Se isto continuar assim, acho que vou ter que comentar o discurso de ano novo do Presidente da República.

3 de janeiro de 2011

Ode to 2010

No consultório

Ele- bons olhos a vejam!
Eu- espero bem que sim!
Ele- o que te traz por cá?
Eu- apareceram-me umas manchas no corpo.
Ele- despe-te.
Eu- toda?
Ele- comeste alguma coisa estragada?
Eu- que eu saiba, não.
Ele- foste comida por alguma coisa estragada?
Eu- hã!?
Ele- podes vestir.

2 de janeiro de 2011

tem a sua piada

Esta passagem de ano, esqueci-me de comer as passas.