29 de setembro de 2014

Som, som, experiência, som...

É só pra ver se ainda sei funcionar com isto.

15 de fevereiro de 2013

O contrário do amor não é o ódio, é a indiferença.

E porque já passou o dia dos namorados...agora faz todo o sentido comentar sobre o amor.

25 de janeiro de 2013

mind the gap


Este blog já existe há 7 anos. O sentimento que tenho ao ler os posts dos anos anteriores assemelha-se a algo parecido ao que senti quando andei a fazer mudanças e encontrei o meu diário.
O meu diário tinha um buraco no meio feito por mim, para esconder objetos que não podiam ser encontrados, e estava cheio de erros de ortografia e gramática. Senti uma grande nostalgia ao ler o que escrevia, principalmente em relação aos conteúdos sobre os quais escrevia diariamente, como a escola (namorados), música (namorados nos concertos), passeios (com namorados), bebedeiras (não me lembrava dos namorados) e outros assuntos que já não me lembro (ou quero muito esquecer).
Este blog é uma espécie de diário. É virtual, mas está cheio de buracos. Hoje partilhei uma foto de um objeto que me permite fazer xixi de pé. Como as coisas mudam.

Sentada só em casa

Senti uma certa angústia quando descobri este novo objeto...

Se tu visses o que eu vi

Sobre o ciúme amor

 

Não sejas ciumenta.
Não sou ciumenta. Só não percebo porque andas há 3 dias a falar da tua ex namorada.
Estás com ciúmes e nunca a viste. Se a visses, aí sim ias ficar com ciúmes.

"Don't worry about the people in your past; There's a reason they didn't make it to your future"

É a mais pura verdade. Mas é um cliché, esta frase motivacional que li hoje por aí.
Eu prefiro aquela que diz "...não te deixes cair em tentações melancólicas. Porque rebolar no lodo só serve para te sujares". Baseada no prefácio do "Admirável Mundo Novo" e musicada pelos Xutos e Pontapés. Aqui fica a letra:
 
Falhas
Xutos e Pontapés

Falhas todos temos
Mas crónicos remorsos são por demais indesejáveis
Se agiste mal corta essa
Mas tenta pensar melhor da próxima vez
Não te deixes cair em tentações melancólicas
Porque rebolar no lodo só serve
para te sujares

Até mostrava o vídeo, mas acho que ainda não chegou ao youtube. A letra da música é muito grande e variada...mas é profunda e sempre atual. E parabéns ao Zé Pedro que se casou no fim de semana passado.


22 de janeiro de 2013

Sentido da vida


Espero sinceramente que o sentido de certos acontecimentos de vida queiram apenas dizer que a vida nem sempre tem um sentido. Ou é isso ou estou com um problema para resolver.

21 de janeiro de 2013

Sobre apoio emocional


Na entrada para o bloco operatório:
- Vai correr tudo bem.
- Sim, espero que sim.
- Vai. Vais ver.
- A ideia da anestesia é que não me agrada.
- A anestesia não faz mal nenhum.
- A médica disse que era só colocar uma máscara, como fazem com as crianças.
- É dessas? Que horror, são as piores.
- …
Enfermeiro: - Temos que ir.
- Xau…
- Vai correr tudo bem!

17 de janeiro de 2013

amor sem asas

Quero-te te tanto
Que fico assim
Tanto sem jeito
É ciúme em mim


Faço sem querer
E querer é poder
Não quero nada
Não te quero perder

Sei que é errado
E continuo a fazer
Não sinto nada
Não sinto prazer
                              **


3 de janeiro de 2013

pedidos

O que espero para 2013? Espero conseguir chegar ao fim. Grande resolução! O problema de ter um ano muito mas muito bom, é que toda a gente sabe que o que é bom acaba depressa...
Isto é uma espécie de psicologia invertida (nunca percebi o que isto significava), mas ao contrário. É mais ou menos o conceito que refere os 360º que a vida dá, ou deu, ou pode dar.
Não obstante, tenho uma grande fezada neste ano. Sei que vai ser diferente do ano passado, e mudar é bom. Segundo as minhas próprias previsões, a Lua irá influenciar muito a minha vida e também as marés. Portanto, o borda d´ água será uma referência.

14 de dezembro de 2012

ouvi dizer...

"Percebe-se que a mulher bateu no fundo quando vai à Primark comprar umas leggings."

7 de novembro de 2012

A vida está cara

Hoje paguei 1000 escudos por 3 horas de estacionamento.

10 de outubro de 2012

Alguém me sabe explicar porque não me aparece os botões do google+, facebook e afins no final das mensagens? É que já cliquei nessa opção nas mensagem de blog e continua a não aparecer. Obrigada.

2 de outubro de 2012

Andam a brincar com o meu coração

À procura de Diana é uma campanha de publicidade. Parvalhões! Fraquinhos! Até o outro, o do skate,conseguiu melhores resultados...

1 de outubro de 2012

Diz lá outra vez que Deus não existe

Passo um sábado inteiro irritada porque estou à espera de uma encomenda que nunca mais chega . Perco a festinha de aniversário do meu sobrinho, fico um dia de sol fechada em casa . Descomponho a dona da loja, rogo mil pragas à empresa de distribuição, e hoje fico a saber que os adultos que estiveram presentes na festinha estão todos doentes.
Hum? E esta, heim? Eu sei que não é a mesma coisa que aquelas pessoas que sobrevivem a um desastre aéreo, mas é o se pode arranjar...

28 de setembro de 2012

Sou uma lamechas

O Ricardo Soares anda à procura da Diana!
Sabem aquelas pessoas que quando ouvem uma história têm sempre um palpite para dar? Eu sou assim.
E depois há também aquelas pessoas que ficam muito incomodadas com isso, e que são infelizes e não sabem porquê.

27 de setembro de 2012

Isto está a ficar muito sério por aqui

"Às vezes um charuto é só um charuto", dizia Freud. Às vezes não, digo eu que tenho a mania da perseguição.

Xiu! Não digam nada a ninguém, mas o que eu dava agora por um cigarrinho...
Era para ter colocado uma imagem de uma mulher sensual a fumar charuto, que seria bem mais indicado, mas estou a convencer-me a mim mesma que as rugas acima apresentadas são causadas pelo fumo.

Depois de ler esta notícia, cada vez mais tenho a certeza que temos que ter muito cuidado com aquilo que dizemos. Quando faço um esforço para compreender o que significa ter que tomar a decisão de não efetuar um tratamento a alguém doente, porque, simplesmente, já não vale a pena, só consigo pensar na pessoa condenada à morte e em todas as pessoas que estão a sofrer à sua volta. A forma como a questão é abordada pelo Sr. em questão e a forma como é tratada pela comunicação social, faz-me pensar no valor que a vida (não) tem hoje em dia.  

“Vivemos numa sociedade em que, independentemente das restrições orçamentais, não é possível, em termos de cuidados de saúde, todos terem acesso a tudo" (…) 

(…)“Será que mais dois meses de vida, independentemente dessa qualidade de vida, justifica uma terapêutica de 50 mil, 100 mil ou 200 mil euros?" 

Claro que sim, claro que sim.