1 de março de 2010

Abraço

Em Portugal não temos o hábito de abraçar. Os homens, por exemplo, escrevem abraços mas não dão. Mas através do abraço, do contacto físico, autêntico e sincero, compreendemos melhor os nossos sentimentos e os dos outros. Conseguimos compreender melhor o nosso espaço, os nossos limites.
Tive a oportunidade de aprender e vivenciar estes sentimentos com pessoas que muitos diriam que não temos nada a aprender. Confesso que não foi uma aprendizagem fácil, acho que não estava preparada, quer pela idade quer pelo contexto em que sempre vivi, mas foi muito gratificante e alterou a minha forma de ver o mundo. O meu mundo e o mundo dos outros.
Através de um abraço sentimos a segurança, as semelhanças e as diferenças, os sentimentos verdadeiros. Ao sentir um abraço compreendemos a impotência, aumentamos a aceitação e a confiança.
Hoje esteve um dia de sol e lembrei-me disto. Lembrei-me também, que passo demasiados dias sem me lembrar e sem abraçar.

3 comentários:

Brown Eyes disse...

Realmente não temos muito o hábito de abraçar mas tens razão um abraço transmite muitos sentimentos e dá um grande calor.
Linda imagem
Beijinhos

Helga disse...

Os meus filhos são um 'papa-abraços'. Ás vezes tenho que os enxotar... estou a brincar. Eles são realmente umas melguinhas, mas não os enxoto. Sabe tão bem. Também não era muito de abraços, mas desde que eles chegaram, tudo mudou. Um abraço é tudo isso que descreves, Devíamos abraçar mais. Muito mais!

Kisses :)

Pedro Bom disse...

Eu gosto e dou e como o beijo se banalizou, dou mt mais importância ao abraço que ao beijo!!