23 de novembro de 2010

síndrome de operária fabril

Neste momento estou a sofrer da síndrome de operária fabril. Nada contra a profissão que simbolicamente escolhi para manifestar uma ideia, mas sinto-me como se vivesse no final do século XVIII. Após a migração para residir perto do local trabalho, a instalação no meu cortiço, só me resta trabalhar. Ainda bem que quarta-feira é feriado, sempre dá para descansar um pouco.

7 comentários:

Catarina Reis disse...

"Deus não condenou o homem ao trabalho, condenou-o a viver consedendo-lhe o trabalho como circunstância atenuante." Beijos

Tio do Algarve disse...

Tulipa,
Que pena amnhã não poder ir "à Caixa" com essa doença e pedir uma baixa!!! Mas também não vou trabalhar, faço um feriado só para mim :))
bjs

El Matador disse...

Qual quarta feira? Amanhã?
Amanhã é um feriado anti-sócrates. :)

Brown Eyes disse...

Feriado ou dia de greve? Beijinhos

Tulipa disse...

Era uma piada! Ainda bem que perceberam :)
Um bom dia amanhã!

Rafeiro Perfumado disse...

FERIADO?!? Só se tiver sido para ti!

Tulipa disse...

Rafeiro, foi uma espécie de qualquer coisa :)