27 de setembro de 2012


Depois de ler esta notícia, cada vez mais tenho a certeza que temos que ter muito cuidado com aquilo que dizemos. Quando faço um esforço para compreender o que significa ter que tomar a decisão de não efetuar um tratamento a alguém doente, porque, simplesmente, já não vale a pena, só consigo pensar na pessoa condenada à morte e em todas as pessoas que estão a sofrer à sua volta. A forma como a questão é abordada pelo Sr. em questão e a forma como é tratada pela comunicação social, faz-me pensar no valor que a vida (não) tem hoje em dia.  

“Vivemos numa sociedade em que, independentemente das restrições orçamentais, não é possível, em termos de cuidados de saúde, todos terem acesso a tudo" (…) 

(…)“Será que mais dois meses de vida, independentemente dessa qualidade de vida, justifica uma terapêutica de 50 mil, 100 mil ou 200 mil euros?" 

Claro que sim, claro que sim.

2 comentários:

Briseis disse...

Até tenho medo de pensar que há pessoas com coragem, não só de pensar isto, mas ainda de o atirar da boca para fora...

Tulipa disse...

É incrível mesmo...