28 de setembro de 2010

Muita parra e pouca uva

O ser humano é fantástico, e já foi o melhor cultivo de produção biológica. A uva também. A uva é um dos frutos mais antigos, dos que são conhecidos. Eu acredito, e constato todos os dias, que há coisas que não conhecemos. Se fossemos videiras bastaria colocar uma estaca e deixar a natureza fazer o seu trabalho, chegar alto, e no final poderíamos dar um bom vinho ou simplesmente muita parra e pouca uva. Nós somos um pouco mais complexos, de um momento para o outro, os sentidos enganam-nos, o preto passa a branco, a atracção passa a repulsão, o bom passa a mau, o doce amarga, a certeza passa a incerteza, as necessidades alteram-se. E é na pele, sente-se na pele. Acaba sempre onde começou. Celebramos a natureza como a vemos, imaginando que a celebramos como ela é, e bebemos um copo de vinho. Esquecemos o entretanto, esquecemos os meios. E fazemos um brinde. À nossa!

10 comentários:

El Matador disse...

À nossa!

Tio do Algarve disse...

Tulipa,
Muito gira a comparação...Não se se precisaremso de ser enxertados, mas alguns homens precisavam dum bom enxerto, em linguagem popular..

Catarina Reis disse...

A natureza continua sempre a fazer o seu trabalho, nós é que pensamos que não.
Beijos

Tulipa disse...

Matador, à nossa! xin-xin

Tio, há pessoas que precisam de um grande enxerto...:)

Catarina, às vezes andamos distraidos e de vez em quando somos lembrados disso.

kisses

manjedoura disse...

À Nossa
trim...trim

Tulipa disse...

À nossa, manjedoura! :)

Luis Baptista disse...

E deu-me assim um desejo enorme...

Tulipa disse...

Um copo cheio pra ti!

tadeu disse...

gostei :)

Tulipa disse...

Obrigada :)