9 de março de 2010

Solidão

                                                          foto olhares
Desde muito cedo aprendeu a ser bem comportada. Sem o verdadeiro reconhecimento do bom comportamento mas sob a ameaça do castigo pelo mau, foi crescendo desfilando numa passadeira vermelha de emoções. A passadeira apesar de suficientemente larga  para comportar várias pessoas foi construída em exclusivo para ela. E no alquimiar das suas relações sociais, não conheceu nada de novo. Não conheceu a felicidade de viver em sociedade, nem a frustração de viver com pessoas. Hoje, está sozinha.

7 comentários:

Helga disse...

Todos nós corremos o risco de ficar sozinhos, principalmente quando nos isolamos do que é realmente importante; a felicidade de viver em sociedade e a frustração de viver com pessoas. Gostei desta análise, curta, mas que diz quase tudo.

Beijinhos :)

continuando assim... disse...

e a solidão é baça...nem sequer é transparente...

Anónimo disse...

Solidão...

Marquês de Sade disse...

Felizmente nada é eterno :)
Bjinho grd

Brown Eyes disse...

Tulipa a solidão pode ser tão boa, quando a escolhemos, não quando nos é imposta. A vida em sociedade pode ser muito cansativa e muito banal. Como acho que temos pouco tempo de vida para o que queremos realizar não gosto de perder tempo com futilidades, coisas que nada me dão. A sociedade em que vivemos está demasiado oca para considerar feliz quem nela caminhe. Basta ler a capa das revistas. É realmente uma frustração perder tempo com pessoas que dão valor a tudo menos a quem têm ao lado. Como diz o ditado: antes só que mal acompanhada.

Manuela Coelho disse...

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo o mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.

E se todo o mundo é composto de mudança,
Troquemos-lhes as voltas que ainda o dia é uma criança.


Beijinhos

Tulipa disse...

Manuela, bela versão do poema. Obrigada pela visita. kiss