15 de março de 2010

Conformismo

Ainda em relação ao sentimento despertado pelo post anterior e não só. Já reflecti sobre o efeito Halo, o efeito estufa, o efeito placebo, o tão na moda efeito borboleta, o efeito dopller, o de Joule e o meu preferido o efeito carambola. Mas hoje decidi escrever sobre um dos efeitos de Asch, que é por assim dizer, um dos que ainda me impressiona.
Em meados dos anos 50, perceba-se do século passado, Solomon Asch realizou uma experiência para comprovar aquilo que todos sabemos, a nossa tendência para seguir a opinião dos outros.
A experiência foi mais ou menos assim:
Foram colocadas várias pessoas numa sala com o objectivo de fazer um teste de visão. O grupo era constituído por 8 pessoas, 7 que conheciam a experiência e estavam informados sobre o que deveriam responder e uma vítima que era o experimentado.
Foram mostradas várias figuras ao grupo e perguntavam-lhes qual das linhas (A, B ou C) era igual à da esquerda.
As 7 pessoas inicialmente davam uma resposta certa e após várias figuras começavam a dar uma resposta incorrecta propositadamente. O experimentado era sempre a 6ª pessoa a responder. A descoberta foi que mais de metade dos indivíduos submetidos à experiencia davam uma resposta errada e seguiam o grupo, mesmo sabendo que estavam a dar a resposta errada.

Generalizando.
O respeito pelas normas é uma forma de conformismo e é saudável dentro de um grupo.
Mas abdicar do que se vê como correcto? A necessidade de fazer parte de um grupo leva-me a cumprir as normas, mas não a abdicar da minha opinião. E se não concordar, não me resta grande alternativa senão deixar de fazer parte. As consequências? Algumas são quase insuportáveis. Mas para mim, acima das normas estão os valores e desses não abdico.
De opinião todos mudamos, ou pelos menos os mais iluminados. Agora de valores, desconfio.
E não há nada que me repudie mais que pessoas sem valores. No dia-a-dia chamam-lhe de falta de personalidade.

5 comentários:

El Matador disse...

No dia-a-dia, são essas pessoas com falta de personalidade que fazem a opinião pública. As pessoas que não abdicam dos seus valores em função do grupo são geralmente consideradas párias e afastadas, com muito ou pouco alarido, dependendo do grupo.

Tulipa disse...

São os verdadeiros outsiders...e não têm uma vida nada fácil!

Helga disse...

Talvez seja hora dos 'outsiders' formarem um grupo... quem alinha?

Tulipa disse...

Eu alinho ;)

Brown Eyes disse...

Concordo com o que escreveste e passo a citar:
A necessidade de fazer parte de um grupo leva-me a cumprir as normas, mas não a abdicar da minha opinião. E se não concordar, não me resta grande alternativa senão deixar de fazer parte. As consequências? Algumas são quase insuportáveis. Mas para mim, acima das normas estão os valores e desses não abdico.
Acrescento: Pessoas sem valor para mim são lixo, sejam elas quem forem. Não quero qualquer mistura com essa gente.
Pena que sejamos poucos a pensar assim e, pelo contrário, seja dada tanta importância a esse tipo de gente. Parece que tudo muda mas eu quero continuar imutável e sem medo de proferir a minha opinião.
Beijinhos