30 de novembro de 2009

Amor

Amor. Amor. Amor. Hoje apetece-me escrever sobre o Amor.
Onde o Word não chega… Hábito – costume, uso, rotina, etc. Habito – estou, moro, resido, vivo, etc.

26 de novembro de 2009

Energia Positiva

Nunca fui muito na onda das boas energias e essas coisas mais alternativas. Não tenho nada contra, mas a verdade é que não sou muito de seguir modas e essas religiões meio filosofias meio descompensação neurótica alternativa não fazem bem o meu género. Principalmente quando se mistura tudo numa vida só.
A mim, ecletismo nesta área, soa-me mais a falta de conhecimento. Acho que a palavra alternativa está mal empregue.
No entanto, admito, que eu própria tenho um buda e umas coisitas indianas lá em casa e estou a pensar adquirir uma flor que atrai as energias negativas que vi na casa de uma amiga e ficava mesmo bem na minha sala.
Nunca precisei de equilibrar os chacras, nem de fazer uma purificação da aura, embora já tenha feito uma leitura da aura. Mas, isso foi um acto de desespero.
Resumindo, e o que eu queria dizer quando comecei a escrever o post, é que existem pessoas que emanam más energias. Não sei se isto pode ser explicado por alguma filosofia oriental, mas eu sinto-me mal na presença de quem está de mal com a vida e não percebe isso. Os outros pedem ajuda. Destilam maledicência e infelicidade e não há mecanismo de defesa que resulte, nem o Feng Shui me safa. Só me resta a distância possível. Está explicada a minha ausência.

24 de novembro de 2009

Tu: Infelizmente as pessoas não têm a cabeça formatada para estas novas metodologias. Eu: Felizmente que não! Tu: O que eu queria dizer é que as pessoas não estão habituadas a pensar… Eu: Claro que estão. As pessoas pensam naquilo que precisam pensar e que lhes dá prazer. Tu: Estás a perceber-me. Eu: Não, não estou. Tu: Estava a tentar dizer que as pessoas oferecem alguma resistência às novas formas de pensar e de fazer as coisas. Eu: À mudança em geral. Tu: Estavas a perceber… Eu: Não estou, não. Não consigo fazer esse tipo de raciocínio linear…não estou formatada para pensar assim…

20 de novembro de 2009











- Posso contar-te uma paranóia minha?
- Podes.
- Tenho esta paranóia desde aí os meus 6 anos.
- Desde que tens memória!?
- Sabes, sempre quis aproveitar a vida ao máximo, todos os minutos do dia. Achava que dormir era um desperdício, tinha que aproveitar tudo, a noite não servia para nada. Acordava cedo, para poder aproveitar tudo. Sentia todas as doenças que as pessoas à minha volta tinham. Tinha medo de não chegar aos 15 anos.
Sabes, tinha medo de morrer.
- E agora, ainda tens?
- Agora já passei dos 50 e ainda tenho.

- ...

19 de novembro de 2009

18 de novembro de 2009

Ninguém avança pela vida em linha recta. Muitas vezes, não paramos nas estações indicadas no horário. Por vezes, saímos dos trilhos. Por vezes, perdemo-nos, ou levantamos voo e desaparecemos como pó. As viagens mais incríveis fazem-se às vezes sem se sair do mesmo lugar. No espaço de alguns minutos, certos indivíduos vivem aquilo que um mortal comum levaria toda a sua vida a viver. Alguns gastam um sem número de vidas no decurso da sua estadia cá em baixo. Alguns crescem como cogumelos, enquanto outros ficam inelutavelmente para trás, atolados no caminho. Aquilo que, momento a momento, se passa na vida de um homem é para sempre insondável. É absolutamente impossível que alguém conte a história toda, por muito limitado que seja o fragmento da nossa vida que decidamos tratar.
Henry Miller

16 de novembro de 2009

É só pra avisar que faltam 45 dias para 2010.

13 de novembro de 2009

The 10 Coolest Foreign Words The English Language Needs

Desenrascanço (Portuguese)
Means:
To pull a MacGyver.

This is the art of slapping together a solution to a problem at the last minute, with no advanced planning, and no resources. It's the coat hanger you use to fish your car keys out of the toilet, the emergency mustache you hastily construct out of pubic hair.
What's interesting about desenrascano (literally "to disentangle" yourself out of a bad situation), the Portuguese word for these last-minute solutions, is what is says about their culture.
Where most of us were taught the Boy Scout slogan "be prepared," and are constantly hassled if we don't plan every little thing ahead, the Portuguese value just the opposite.
Coming up with frantic, last-minute improvisations that somehow work is considered one of the most valued skills there; they even teach it in universities, and in the armed forces. They believe this ability to slap together haphazard solutions has been key to their survival over the centuries.
Don't laugh. At one time they managed to build an empire stretching from Brazil to the Philippines this way.
Fuck preparation. They have desenrascanço.

12 de novembro de 2009

4 de novembro de 2009

Fábulas

Era uma vez uns sapos que resolveram fazer uma corrida. O objectivo era atingir o cume de uma grande montanha. Havia no local uma multidão de animais a assistir. Muitos estavam ali para vibrar e torcer por eles. Outros para ver o “absurdo”. Começou a competição. Mas, como uma grande parte da multidão não acreditava que os sapos pudessem alcançar o alto daquela montanha, o que mais se ouvia era: Que pena! Esses sapinhos não vão conseguir...não vão conseguir... E os sapos começaram a desistir!... Alguns continuavam confiantes. E a multidão gritava: _ Loucos! Desistam enquanto é tempo, vocês vão morrer! E alguns sapos começaram mesmo a desistir, um por um... Menos um. Um sapo continuava tranquilo, embora cada vez mais ofegante...Já ao final da competição, todos desistiram, menos ele...A curiosidade tomou conta de todos. Queriam saber o que tinha acontecido...E assim, terminada a corrida, com um único sapinho vencedor, foram perguntar como ele tinha conseguido concluir a prova e qual não foi a surpresa quando conseguiram descobrir… O sapo era surdo!

3 de novembro de 2009