29 de julho de 2010

Minde the Gap, ou as mães têm sempre razão

Pode ser um acumulado de experiências, pode ser um fenómeno paranormal, pode até ser apenas um desejo que assim seja, mas as mães têm sempre razão. Custa-me escrever isto. É uma espécie de solução mágica em que não se pode acreditar. Uma pré-determinação, quase uma praga. Talvez seja por esta razão que ando a tentar fugir de casa desde os 14 anos, e que hoje em dia continuo a ir lá jantar frequentemente.
A situação geralmente piora quando a mãe pede conselhos ao Pai, que é homem, logo não possui a capacidade de ler as entrelinhas. O pai tem a visão deturpada por uma paixão cega pela filha, que Freud explica ou não, que invalida qualquer conselho. Por isso, a razão da mãe que falo prende-se com o primeiro conselho que a mãe dá ao avaliar uma situação exposta. No dia seguinte, geralmente, já não vale a pena ouvir os conselhos.
A mãe tem sempre razão no que diz, nem que seja pelo desejo de felicidade plena da filha que se traduz na dela própria. E acerta sempre. Neguem, esperneiem, fujam, façam exactamente o contrário do que ela diz, mas a mãe tem sempre a verdade, a certeza, a razão. É claro que a linguagem utilizada é codificada, traduzida por símbolos, assim como a linguagem dos sonhos. São os nossos desejos escondidos ou não, pelo consciente ou pelo inconsciente, que não conseguimos verbalizar ou que gritamos aos sete ventos. Por isso, e como nos sonhos, a mensagem nem sempre é percebida e terá que ser interpretada à luz da nossa realidade, das nossas crenças, dos nossos desejos. Assim, o que serve para mim não serve para vocês. Ou seja, este post não tem utilidade nenhuma para além do prazer que me dá a mim escrevê-lo.

28 de julho de 2010

27 de julho de 2010

Debaixo de que pedra é que tu saíste?

- Diz-me sinceramente, preferes uma mulher histérica ou introspectiva?
- Ah? E o meio-termo não pode ser?
- O meio-termo é uma chatice. Cada vez estou mais convencida que os homens gostam de mulheres histéricas e com problemas.
- Sempre temos a sensação que estamos a ajudar. De psicólogo e de louco todos temos um pouco.
- Ah! Não acredito que tenhas dito isso.
- É o que é preciso para agradar às mulheres.
- Sim, mas deve haver excepções, nem todos os homens gostam de mulheres histéricas e com problemas...
- Sim, claro que há. Mas não te preocupes muito com isso. Como amigo, devo alertar-te para o facto de já teres estado mais longe.
- Mais longe de quê??

23 de julho de 2010

Disparou - Fábrica de Letras

Disparou
em todas as direcções para ver se acertava.
Disparar em todas as direcções é mais fácil. Aumenta as probabilidades de acertar, pode ser no nada, mas aumenta.
Quem disse que escolher um alvo era mais fácil!? Não. Não ter um alvo aumenta a probabilidade de não falhar, pode ser no nada, mas aumenta.
Por isso, e por nada, disparou em todas as direcções para ver se acertava.




16 de julho de 2010

O amor é lindo!


Descobri aqui e é para divulgar!

Reciclagem

No meu trabalho fazemos separação de lixo. Tu vais para ali, tu vais para ali, e tu vais para ali. Agora, aguardamos o pessoal reciclado. Quanto ao papel, toners e afins, mandamos para o lixo indiferenciado. A funcionária que recolhe o lixo é daltónica, não sabe distinguir as cores. Está a trabalhar ao abrigo do programa de emprego apoiado, para o ano não está cá, não vale a pena ensinar.

15 de julho de 2010

Liga!

Estou desejosa que comece o campeonato nacional de futebol, já não aguento as notícias sobre a crise e sobre políticos corruptos.